0
137
Moro e Dallangnol
Moro e Dallangnol

Lava Jato protegeu Globo depois de acordo para cobertura favorável a Dallagnol e Moro

Segundo o livro da jornalista do Intercept Letícia Duarte sobre a Vaza Jato, a Lava Jato blindou a Globo ao não investigar a relação da emissora com o escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca, usado para lavagem de dinheiro.

Em troca, a família Marinho garantiu ampla cobertura favorável à operação

Letícia Duarte, jornalista do The Intercept, publicou um livro sobre a Vaza Jato no qual revela que a Operação Lava Jato blindou a Globo.

A Lava Jato, pelo acordo, deixou de investigar a relação da emissora com o escritório de advocacia panamenho Mossack Fonseca, usado para empresas offshores em esquemas de lavagem de dinheiro.

Pelo acordo, a emissora se comprometou com ampla cobertura à operação comandada pela dupla Moro-Dallagnol.

“O livro sobre a Vaza Jato escancara uma relação antiética entre o jornalista Wladimir Neto e os procuradores da Lava Jato, na medida em que ele presta uma espécie de consultoria informal a Deltan Dallagnol. (…) E o apoio mais importante não vinha de repórteres, mas da cúpula”, crava o jornalista Joaquim de Carvalho, no excelente Diário do Centro do Mundo.

O nome do Mossack aparece em processos que tramitam em Angra dos Reis (RJ), ainda sem desfecho.

Como disse o Brasil 247, segundo denúncia do Viomundo, publicada em março de 2016, a Filha de João Roberto Marinho, Paula Marinho teria feito pagamentos à Mossack & Fonseca referentes à manutenção de empresas offshore ligadas aos negócios do marido dela, Alexandre Chiappeta de Azevedo.

Em novembro de 201 a Globo entregou o Prêmio Faz a Diferença para Sergio Moro.

Na entrega, João Roberto Marinho estava acompanhado do diretor de redação de O Globo na época, Ascânio Seleme.

Ainda segundo o que levantou o Brasil 247, Joaquim Falcão, que dirigiu a Fundação Roberto Marinho dos anos 1980 até 2000, levou para sua casa Deltan Dallagnol. A ideia seria ter um encontro com João Roberto Marinho.

Dallagnol mesmo relata, de acordo com a conversa vazada para o Intercept e publicada no livro de Letícia Duarte.

“Caros, esqueci de contar algo importante… Na correria, passou. Mas tem que ficar restrito. Almocei na quarta com João Roberto Marinho. É ele quem, segundo muitos, manda de fato na Globo. Responsável pela área editorial do grupo. A pessoa que mais manda na área de comunicação no país. Quem marcou foi o Joaquim Falcão”, disse na mensagem.

Para evitar repercussão negativa, foi na casa do Falcão. Falei do grupo, do trabalho e das medidas. Falei da guerra de comunicação que há no caso. Ele ouviu atentamente e deu seu apoio às 10 medidas. Vai abrir espaço de publicidade na Globo gratuitamente“, acrescentou em seguida.

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui