Angola – UNITA apela ao diálogo para o fim dos problemas

0
133
Nessa semana, em Luanda, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), reivindicou mais diálogo para a tentativa pacífica de resolução das exigências sociais de manifestantes diante dos “trágicos acontecimentos” que aconteceram na região do Cafundo, na província de Lunda-Norte, no dia 30 de Janeiro.

Nessa semana, em Luanda, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), reivindicou mais diálogo para a tentativa pacífica de resolução das exigências sociais de manifestantes diante dos “trágicos acontecimentos” que aconteceram na região do Cafundo, na província de Lunda-Norte, no dia 30 de Janeiro.

O pedido foi feito através de um relatório produzido pela delegação parlamentar da UNITA durante visita à região de Cafunfo. Na quarta-feira desta semana (10/2) em uma coletiva de imprensa, o relatório, contendo oito páginas, foi mostrado e debatido. Durante a coletiva, Liberty Chiyaka, membro da UNITA, esteve presente.

Dentre outras reivindicações, os parlamentares da UNITA pedem racionalidade e responsabilidade dos funcionários de carreira do governo para com toda a população da região, em especial os funcionários da Defesa e da Segurança discursos que transmitem aos cidadãos.

Adalberto Costa Júnior, presidente da UNITA, assim como Liberty Chiyaka, afirma ressaltam a importância do Presidente da República investigar e apurar tudo o que houve no evento de janeiro e tomar todos os cuidados para casos como esse voltem a acontecer.

Foi anunciado por Liberty Chiyaka que cópias do relatório desenvolvido pela UNITA serão enviados para órgãos do Estado, tais como a Procuradoria-Geral da República e a Assembleia Nacional.

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui