Escola na comunidade quilombola é destruída pelo governo de Santa Catarina, veja foto

0
2404
Trator ao lado da escola em comunidade quilombola em Santa Catarina.
Foto: Reprodução.

A escola de Educação Básica José Farias Neto, localizada na Comunidade Remanescente do Quilombo Invernada dos Negros, em Campos Novos- SC, foi destruída no dia 1º de abril. Segundo a deputada estadual Luciane Carminatti- PT, a empresa que demoliu agiu de forma arbitrária ao derrubar um prédio público. Em suas redes sociais, a deputada afirma que irá protocolar um pedido de providências no Ministério Público, considerando que a comunidade quilombola possui vínculo com aquele espaço de educação, o qual representava a garantia de direitos, dignidade e respeito.

O Movimento Negro Unificado de Santa Catarina e a Comunidade de Remanescente do Quilombo Invernada dos Negros publicou um manifesto em garantia dos direitos e respeito com a educação do quilombo, o qual denuncia a postura de arbitrariedade e desrespeito do Governo do Estado, atualmente sob o comando da vice-governadora Daniela Cristina Reinehr, bem como do Secretário Estadual de Educação, Luiz Fernando Vampiro e do Coordenador Regional de Educação, Luiz Carlos Turcatto. Segundo o movimento, descumprindo todos os protocolos de diálogo, eles foram informados por terceiros que o material da Educação Quilombola estava sendo retirado da escola e que a mesma seria demolida.

A comunidade da Invernada dos Negros vem utilizando o espaço da unidade da E.E. B José Faria Neto desde a Resolução da Educação Quilombola Nº0086, junho/2019 do Conselho Estadual da Educação, a qual estabeleceu que a mesma abrigaria a Educação Quilombola da comunidade que conta hoje com três turmas do Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio, contando com aproximadamente cem alunos, entre esses, alguns idosos. A comunidade já formou vários estudantes na Educação Quilombola, muitos desses já encaminhados ao Ensino Técnico e superior e já ampliou o número de educadores quilombolas graduados e em processo de graduação.

O movimento denuncia a atitude racista, repressora e antidemocrático do atual governo do estado e da sua equipe que, mesmo sabendo das atividades lá desenvolvidas, agiram de má fé, desrespeitando o direito da Comunidade Quilombola.

Veja foto de como a escola ficou após a demolição:

Escombros da escola quilombola destruída em SC.
Foto: Reprodução.

Quer ficar por dentro das principais notícias, artigos e produções literárias? Siga-nos no Telegram.

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui