Lucinha do MST derrota ação contra sua candidatura na Bahia

0
527

Nesta segunda-feira (5), o Tribunal Regional Eleitoral da Bahia rejeitou representação movida por ACM Neto (UB), contra a candidata à deputada estadual Lucinha do MST pelo Partido dos Trabalhadores (PT), em pedido que contestava o uso da sigla do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na campanha da candidata.

“A vitória sobre o pedido de liminar sem fundamento, serve para deixar claro que nós vamos ocupar sim todos os espaços de poder! Teremos Sem Terras, mulheres, negras e negros, indígenas e, sobretudo, a classe trabalhadora ocupando o legislativo na Bahia e em todo Brasil”, informou Lucinha do MST, após o indeferimento do pedido movido por ACM Neto, atual candidato ao governo da Bahia pelo partido União Brasil (UB).

Em nota, o MST também se manifestou contra o pedido de ACM Neto:

“Nós do MST repudiamos o ataque e a perseguição política por parte do ex-prefeito de Salvador, ao Movimento e à candidatura de Lucinha. Lucinha, atual Secretária Nacional de Movimentos Populares do Partido dos Trabalhadores, tem uma luta histórica entrelaçada com o Movimento Sem terra, fazendo parte da Fundação na Bahia.”

O Movimento ainda salienta que “a gravidade dessa ação incide em duas perspectivas: A criminalização do Movimento Sem Terra, que luta pelo direito à terra, em defesa da agricultura familiar, da agroecologia e uma vida digna para todes. A Outra perspectiva é da violência de gênero e política, ainda mais acentuada neste período eleitoral, encontra novas formas de atacar mulheres que ousam ocupar os espaços de poder e decisões, o caminho encontrado pelo candidato da direita é a judicialização da política, tentado silenciar uma mulher negra, mãe, feminista e agricultora.

Reação de outras candidaturas



Através das redes sociais, outros candidatos comemoraram a decisão / Montagem

Através das redes sociais, outros candidatos do Partido dos Trabalhadores reagiram à decisão, manifestando apoio à Lucinha e ao MST. O deputado federal Valmir Assunção, que também é Sem Terra, reafirmou a parceria com a companheira de movimento: “Estamos juntos nessa caminhanda”. Já Elisângela Araújo, ressaltou a ligação de Lucinha com a militância: “A Lucinha que eu conheço é a do MST. Vamos juntas, companheira”.

A candidata Vilma Reis também defendeu a Sem Terra. “Vamos firmes e fortes, companheira! Nós vamos ter uma mulher negra e potente e Sem Terra na Assembleia Legislativa da Bahia”. Alexandre Xandó também destacou a importância da decisão. “Vitória! O MST vai sim ocupar todos os espaços, companheira”.

Entramos em contato com a equipe de ACM Neto, mas até o fechamento desta matéria não tivemos retorno sobre a questão. 

Fonte: BdF Bahia

Edição: Lorena Carneiro

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui