Lula diz que quando STF reconhecer suspeição de Moro, reconhecerá também as mentiras da imprensa

0
84
Lula falando.
Foto: LELA BELTRÃO / EL PAÍS

O ex-presidente Lula afirmou que o Supremo Tribunal Federal (STF) quando reconhecer a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, reconhecerá também que a imprensa e todos aqueles que endossaram as práticas ilegais da Lava Jatos foram mentirosos. As declarações foram feitas em uma entrevista ao El País, na tarde de ontem (06).

De acordo com o ex-presidente, “Se eu dissesse que não guardo rancor de algumas pessoas, estaria mentindo. Mas nunca em minha vida fui levado por meus rancores. Quando sentimos ódio, dormimos mal, digerimos mal. Sempre tive consciência do que estava acontecendo comigo. Durante minha prisão, foram feitas tentativas para que eu usasse uma tornozeleira eletrônica. E o que eu disse a eles? Que não troquei minha dignidade pela minha liberdade. Eu estava ciente das mentiras do Moro. Agora é a vez do Supremo Tribunal votar e decidir [pela suspeição de Moro]. Pela primeira vez, eles enfrentam um político que não tem medo deles porque é inocente. E no dia que o STF tomar essa decisão, eles vão ter que dizer que os outros mentiram, que a Globo mentiu, que toda a imprensa mentiu. Será o momento do perdão. Imagino o dia em que o principal noticiário disser: ‘boa noite, hoje queremos pedir desculpas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva porque acreditamos na mentira de Dallagnol e Moro'”.

O entrevistador perguntou a Lula se “Isso é uma utopia, certo, presidente?”. Ele respondeu: “você acredita que isso é impossível, mas eu acredito que vai acontecer. Não sei se estarei vivo, mas, mesmo que esteja no meu túmulo, vou acordar por alguns segundos de alegria porque, finalmente, a verdade terá vindo à tona”.

Quando questionado sobre a pandemia no Brasil, o petista não deixou de apontar a culpa de Jair Bolsonaro pelo caos que assola o país. “A democracia no Brasil sofreu um acidente por causa do Bolsonaro. O presidente não se preocupa com a Covid-19 ou com a economia, a educação ou as relações internacionais. Não compramos vacinas quando podíamos e não estamos vacinando como deveríamos. Agora mesmo o Bolsonaro continua fazendo campanha contra a vacina e contra o isolamento. É quase um genocídio. O Brasil não merece isso”, afirmou o ex-presidente.

Lula ainda disse que os 30% de apoio do atual presidente será derrotado nas urnas nas eleições do ano que vem. De acordo com ele, “Bolsonaro conseguiu reunir aquela parte da sociedade que é ultraconservadora, que defende a pena de morte e que as pessoas vão armadas para o local de trabalho, que rejeita o negro, os direitos da mulher, os LGTBI, os sindicatos… Mas são 70% que discordam. E são esses 70% que vão garantir a democracia. Quando chegar a hora, eles se pronunciarão”.

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui