MP Eleitoral contesta campanha de ex-governador do RJ

0
159

O Ministério Público Eleitoral enviou ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) um conjunto de sete ações de impugnação de registros de candidatura na quarta-feira (18) para as eleições fluminenses. Dentre elas, está a do ex-governador Wilson Witzel (PMB), candidato a chefe do Executivo do estado do Rio.

Leia mais: Daniel Silveira, Wilson Witzel e Gabriel Monteiro podem participar da disputa eleitoral?

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE-RJ) pede ao TRE que o ex-governador Wilson Witzel (PMB), além de ter a candidatura indeferida, seja proibido de utilizar recursos de campanha, seja de fundo partidário ou fundo eleitoral, por se tratar de um candidato que o PMB tinha ciência de estar inabilitado (direitos políticos suspensos) e, ainda assim, o escolheu em convenção do último dia 30.

A PRE-RJ ressaltou ao TRE que Witzel está inelegível em razão da condenação pelo Tribunal Misto Especial no julgamento de impeachment que, em 2020, o afastou do Palácio Guanabara e o inabilitou ao exercício de função pública durante cinco anos. Segundo a PRE-RJ, é iminente o gasto de vultoso financiamento público (R$ 26,6 milhões – é o limite legal total de gastos do candidato), de modo que o pedido liminar de proibição da campanha deve ser apreciado ainda antes do julgamento de outras impugnações.

“A condenação imposta a Wilson José Witzel o restringe de exercer seus direitos políticos passivos e qualquer outro cargo público, ainda que não seja de natureza política, como é o caso daqueles providos por concurso público”, afirmam os procuradores regionais eleitorais Neide Cardoso de Oliveira (titular) e Flávio Paixão (substituto), que ressaltaram que a condenação transitou em julgado (sem recursos pendentes de julgamento).

Leia também: MP Eleitoral apresenta pedido de impugnação da candidatura de Roberto Jefferson à Presidência

A PRE destacou na ação contra Witzel ao TRE-RJ os pedidos de que: (i) não se habilite a realizar campanha eleitoral em causa própria; (ii) não utilize o horário eleitoral gratuito, subsidiado com recursos públicos; (iii) não dispenda os recursos arrecadados dos cidadãos brasileiros, notadamente os oriundos de tributos e alocados ao Fundo Partidário (FP) e ao Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC); e, finalmente, (iv) não possa ser votado na próxima eleição.

Alerj

Além do ex-governador, vão responder a ações de impugnação recém-protocoladas no TRE-RJ os seguintes seis candidatos a deputado estadual: Davi Loureiro (União), Zito (PSD), Júnior Baiano (Republicanos), Chiquinho da Educação (União), Rodrigo Negão (PSC) e Mauro Gouvêa (Republicanos).

Fonte: BdF Rio de Janeiro

Edição: Eduardo Miranda

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui