PE: ‘Meus adversários brigam por legado de Arraes, mas

0
536

Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato, o historiador Jones Manoel, candidato do PCB ao Governo de Pernambuco, apontou que seus adversários Marília Arraes (SD) e Danilo Cabral (PSB) tentam disputar o legado de Miguel Arraes, mas não apresentam propostas de avanço na distribuição de terras no estado, um dos marcos do ex-governador, já falecido. 

Assista a entrevista na íntegra:

Leia: “Vamos surpreender muita gente”, diz Jones Manoel, candidato ao Governo de Pernambuco

Conheça as 10 chapas que disputarão as eleições para Governo e Senado em Pernambuco

Na conversa, Jones criticou a propaganda do PSB sobre a educação pública, disse que o debate sobre erradicação da fome não pode se limitar a um programa de renda básica e se queixou por ainda não ter acesso aos recursos do fundo eleitoral (FEFC). “Estou fazendo uma campanha para governador com R$30 mil de doações. É muito desigual”, reclamou.

Este ano os recursos do FEFC somam R$ 4,9 bilhões, que foram divididos proporcionalmente ao número de parlamentares que cada partido tem na Câmara Federal e no Senado. Isso significa que o Partido Comunista Brasileiro (PCB) de Jones, sem representações no Congresso Nacional, não tem acesso a quase nada desse recurso.

“O recurso do Fundo Eleitoral não chegou ainda. Não temos recurso de fundo partidário. Todo o recurso que temos veio de doações através da plataforma ‘Quero Apoiar’. Estamos fazendo uma campanha para governador com R$30 mil. Qualquer candidato a deputado estadual pelo PSB tem mais. É um jogo desigual, injusto. Se tivéssemos mais estrutura, para rodar o estado inteiro como desejamos, a campanha seria outra.”

Apenas 2% dessa verba do FEFC (R$ 99,3 milhões) é que será dividida igualmente entre todos os 32 partidos políticos. Ao PCB serão repassados R$3,9 milhões, que serão divididos entre os candidatos. Por lei, essa verba deve ser usada exclusivamente nas campanhas eleitorais (diferente do fundo partidário, usado para o funcionamento dos partidos). Jones é o terceiro da série de entrevistas que o BdF Pernambuco está realizando com os candidatos ao Governo do Estado.

“A despeito disso, temos conseguido pautar muitos debates. Fazemos crítica frontal às comunidades terapêuticas e defendemos os princípios da reforma antimanicomial. Temos conseguido pautar o debate sobre isenções fiscais. Uma candidatura com pouco dinheiro, mas que tem conseguido empolgar muita gente e pautar o debate. Acho que vamos surpreender muita gente com o resultado final e acho que será a campanha com a relação voto/gasto mais barata do Brasil.”

Leia: “A nossa posição no impeachment foi errada”, admite Danilo Cabral

“Nós não acreditamos nisso como alternativa”, diz João Arnaldo sobre Marília Arraes e aliados

O primeiro entrevistado foi Danilo Cabral (PSB) e o segundo João Arnaldo (PSOL). A ordem das entrevistas foi definida de acordo com a disponibilidade dos candidatos. Foram convidados os oito candidatos que alcançaram ao menos 1% nas intenções de voto da pesquisa do instituto Ipec de 15 de agosto. São eles: Marília Arraes (SD), Raquel Lyra (PSDB), Anderson Ferreira (PL), Miguel Coelho (UB), Danilo Cabral (PSB), João Arnaldo (PSOL), Jones Manoel (PCB) e Cláudia Ribeiro (PSTU).

Jones Manoel é graduado em História e mestre em Serviço Social, ambos pela UFPE. É natural do Recife, nascido na favela da Borborema, zona sul da capital pernambucana. Ele morou também em Petrolina, sertão do estado. Jones possui um canal no Youtube com mais de 200 mil seguidores, já publicou quatro livros como organizador, todos sobre pensamento marxista e a luta contra o racismo.

Edição: Vanessa Gonzaga e Sarah Fernandes

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui