Políticos clamam pelo julgamento de Sérgio Moro

0
152
Sérgio Moro
Foto: Pedro França/Agência Senado

Após a anulação dos julgamentos contra o ex-presidente Lula nesta segunda (8), políticos de diferentes espectros clamam que o processo não pode parar por aí. Como Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), anulou os processos alegando incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR), o julgamento de suspeição de Sérgio Moro pode estar em cheque.

Por conta disso, políticos se manifestaram pelo julgamento e punição da parcialidade de Moro. O ex-juiz assumiu o Ministério da Justiça e Segurança Pública no governo de Jair Bolsonaro (sem partido) após prender Lula e o tirar da corrida eleitoral de 2018.

Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST) e presidenciável pelo PSOL declarou em suas redes sociais que “O STF acaba de anular as condenações, mas não terminou seu julgamento sobre a suspeição de Moro. A anulação dos processos não pode ser a salvação de quem fez política de toga”.

O direitista do “centrão” e aliado de Bolsonaro, Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara também se manifestou em suas redes pelo julgamento de Moro. “Minha maior dúvida é se a decisão monocrática foi para absolver Lula ou Moro. Lula pode até merecer. Moro, jamais”, disse em declaração que chocou os internautas.

“Essa decisão não pode afastar a penalização de Sergio Moro, um juiz suspeito, criminoso, que fez com que o presidente Lula ficasse cinco anos sendo julgado por crimes que ele não poderia ser julgado”, disse Gleisi Hoffmann, presidenta do Partido dos Trabalhadores.

Jandira Feghali, deputada pelo PCdoB-RJ, declarou que “É necessário que se julgue a suspeição de Moro nesse caso porque está completamente comprovado o desvio de conduta de Moro e dos procuradores nesses processos. Isso não pode ficar impune porque esse comportamento precisa necessariamente ter responsabilização e punição.”

Da mesma forma, Renan Calheiros (MDB-AL) disse que “A decisão de tornar o Lula elegível é um passo importante. Mas a Justiça não pode deixar de julgar e jogar para debaixo do tapete a parcialidade do então juiz Sérgio Moro. As responsabilidades precisam ser apuradas”.

O líder da oposição na Câmara, André Figueiredo (PDT-CE), declarou que os processos de Moro “foram considerados falhos por importantes juristas e o PDT sempre se solidarizou com o ex-presidente”.

Lula recuperou seus direitos políticos e espera concorrer nas eleições presidenciais de 2022.

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui