Solidariedade na periferia entre a classe trabalhadora – 22 de outubro de 2020

0
117

por Redação Kotter

 

Renato Meirelles é publicitário, presidente do Instituto Locomotiva, focado em pesquisas nas camadas mais pobres da população, e fundador do Data Favela. Especialista em consumo e opinião pública do país, foi dos primeiros a esquadrinhar o comportamento do consumidor emergente brasileiro.

Em entrevista ao Instituto Humanitas Unisinos (IHU), ele afirmou que o impacto da pandemia só não foi maior numa realidade desigual como a brasileira por conta da solidariedade entre a própria classe trabalhadora.

Proporcionalmente, os pobres doaram mais do que as classes A e B, os 25% mais ricos do Brasil. Como se isso não bastasse, nossas pesquisas mostraram que 1/3 das classes A e B requisitaram o auxílio emergencial e 69% dessas pessoas conseguiram obtê-lo. Não há dúvida de que a crise econômica atingiu a todos, mas somente um comportamento extremamente individualista da classe mais abastada – comportamento que se acentuou nos últimos tempos – explica tal atitude, afirmou em entrevista.

 

Pedro Carrano é o responsável pelo Boletim de Notícias da Kotter. Pedro nasceu em São Paulo (SP), em 1980. Jornalista, militante político e pai da Clara. Tem livros de reportagem e poesia. “Meninos sem Matilha” é seu segundo volume de contos.

Imagem, Fonte: Correio Braziliense

Receba atualizações por e-mail!

Cadastre-se agora e receba um e-mail assim que for publicado um novo conteúdo.

Nunca enviamos SPAM. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui